Remix, Mashup e Memes

LEÃO, Lucia. O remix nos processos de criação de imagens e imaginários midiáticos. Trabalho apresentado ao Grupo de Trabalho “Imagem e Imaginários Midiáticos” do XXI Encontro da Compós na UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, de 12 a 15 de junho de 2012.

GLEIK, James. Gleick, James. A informação : Uma história, uma teoria, uma enxurrada São Paulo : Companhia das Letras, 2013. Cap. Um mergulho no caldo dos memes.

O que define um meme. Caderno Link. Estadão. 31 de julho de 2011

RECUERO, Raquel. Memes em weblogs: proposta de uma taxonomia. Revista FAMECOS, Porto Alegre, nº 32 abril de 2007

A longa duração dos memes no ambiente digital: um estudo a partir de quatro geradores de imagens online  Luís Mauro Sá Martino/ Rafael Grohmann

Blog de Henry Jenkins.

Makes a Meme Instead A Concise History of Internet Memes  – Linda K. Börzsei – Utrecht University February 2013

DIÓGENES, Paulo César Rodrigues. Sobre máquinas de escrita e remistura: o método cut-up de William Burroughs. ESTUDOS DE LINGUAGEM E CULTURA. Vol. 13 nº 25 – 2º Sem. 2012

FELINTO, Erick. Videotrash: o YouTube e a cultura do “spoof” na internet.Revista Galáxia, São Paulo, n. 16, p. 33-42, dez. 2008.

GLEICK, James. The evolution of the meme – Gizmodo 03/03/2011

GLEIK, James. O que define um meme. Caderno Link. Estadão. 31 de julho de 2011

JORENTE, Maria J.V. Mídia e Convergências de Linguagens na Web. São Paulo. São Paulo:Cultura Acadêmica, 2012. (Cap 5. Hibridização de gêneros, reprodutibilidade e ressignificação: remix e conhecimento compartilhado)

JURGENSON, Nathan. Speaking in Memes. The New Inquire

LEÃO, Lucia. O remix nos processos de criação de imagens e imaginários midiáticos. Trabalho apresentado ao Grupo de Trabalho “Imagem e Imaginários Midiáticos” do XXI Encontro da Compós,na UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, de 12 a 15 de junho de 2012.

LESSIG, Lawrence. Remix  /  Remix.org

LUPINACCI, Ludmila. GIFs animados sequenciais no Tumblr: fronteiras entre quadrinhos, fotonovela e cibercultura. Trabalho apresentado no GP Cibercultura do XV Encontro dos Grupos de Pesquisa em Comunicação, Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Rio de Janeiro, RJ – 4 a 7/9/2015

MAIA, Alessandra, ESCALANTE, Pollyana. Consumo de Memes: Imagens Técnicas, Criatividade e Viralização. Trabalho apresentado no Grupo de Trabalho 6 – Mercado do Entretenimento e da Música na cibercultura, do VIII Simpósio Nacional da ABCiber, realizado pelo ESPM Media Lab, nos dias 03, 04 e 05 de dezembro de 2014, na ESPM, SP.

MEILII, Angela Maria. “A Banda Mais Bonita da Cidade”- Espalhamento na Rede e o Meme enquanto Intertexto. XXXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Recife, PE – 2 a 6 de setembro de 2011

MESQUITA, André Luiz. Culture Jamming: guerra dos memes e a crítica artística ao consumo nos EUA e No Canadá. Proj. História, São Paulo, (32), p. 313-323, jun. 2006

RECUERO, Raquel. Memes em weblogs: proposta de uma taxonomia.Revista FAMECOS, Porto Alegre, nº 32 abril de 2007

REGIS, Fátima. Tecnologias de comunicação, entretenimento e competências cognitivas na cibercultura. Revista FAMECOS, Porto Alegre/RS, v. 1, n. 37, dez., 2008, p. 32-37.

SHIFMAN, Limor. Memes in a Digital World: Reconciling with a Conceptual Troublemaker

Aldin Rastić, Samina Dazdarević,Fahreta Fijuljanin NEW LANGUAGE MEDIA: INTERNET MEMES MANUSCRIPT

The aim of this research paper is to investigate and explain how theInternet memes work and influence day to day life. The first part willconcentrate on defining the Internet memes; we will provide aclassification of memes depending on their contents and meaning in theother part of this paper. As these memes belong to a larger phenomenon,so-called Internet humor, we will explore some aspects and factors whythese meme have become popular and recognizable all over the world.We believe that understanding them offers a better understanding of theInternet language and new media culture


 

baseado em https://imgflip.com/i/1q09rl

The Meme Election: Clicktivism, The Buzzfeed Effect And Corporate Meme-Jacking – by Whitney Phillips and Kate Miltner –  The Awl (Be less stupid) – 

Interview with a Troll – Whitney Phillips

How Meme Culture Is Getting Teens into Marxism – Hannah Ballantyne  – VICE -APR 27 2017

mnmlist: ANDRÉ DEAK ENTREVISTA: JOSHUA GREEN E O VÍDEO ONLINE

THE FORM OF MEMES – Twelve Remarks on Memetics – Paul Bouissac

MUSEU DO REMIX

HOJE É DIA DE REMIX, MEME

FILOSOFIA DO DUB – Hermano Vianna

CRITICAL ART ENSEMBLE

My Little Sister Taught Me How To “Snapchat Like The Teens” An investigation. – Ben Rosen Buzz Feed 08/02/2016

UEFA: 1, Right to remix: 0 – Viral video gets blocked –By EDRi, Savie the Internet, 12/07/2016

The Three Basic Forms of Remix: a Point of Entry, by Eduardo Navas

What comes after remix? (Lev Manovich)

Remix Theory / Navasse
(an online resource by Eduardo Navas that offers some of his research on Remix)

Gregory Brothers

Projeto do Tactical Technology Collective

Remix.org (Lawrence Lessig)

Rizoma.Net  (Recombinação) – VVAA

Produtor de legendas para filmes

Carl Miller Wired, 26/04/2014

“A gravação, e não o remix, é a anomalia hoje.O remix é a verdadeira natureza do digital. Hoje, um processo interminável, recombinante e fundamentalmente social gera horas incontáveis de produto criativo (um outro termo antigo?). Dizer que isso representa uma ameaça para a indústria fonográfica é simplesmente cômico. A indústria do disco, embora não saiba ainda, tem seguido o caminho da gravação. Em vez disso, o recombinante (o bootleg, o remix, o mash-up) se tornou a característica central na virada dos nossos dois séculos.”



O #museu de memes possui um grupo de estudos virtual no Facebook, aberto à participação e colaboração de todos. O grupo complementa as discussões travadas em ambiente presencial, através dos encontros do coLAB e das sessões do #memeclubeo.

Theory Tranding Cards

(The original set: 12 official cards, plus 20 bootlegs. Available free online. Print them yourself.


 spotify Insights (como a música migra)
Look Around – Search Genius for the lyrics to any song and click highlighted lines to learn more about them. (Our community has annotated all of Kanye andKendrick, but also HamletTV and movie scripts, Kurt Cobain’s suicide note, and even the Chipotle menu…)

Reverse Photoshopping (woman  video game characters)


O Método cut-up por William Burroughs – BILL

Confissões de um plagiador,
por William Gibson


MC Brinquedo vs Björk & Omar Souleyman – Pau na Crystalline (atenção: a letra da música pode ofender algumas pessoas – sexo)






Highbrow Memes, Lowbrow Memes – LOL the vote. Reason.com – Jesse Walker|

I can’t help but feel that this is a little too Frankfurt School for my taste (i.e., the only art is High Art and that pop culture is going to destroy us all because we the General Public are a bunch of brainless zombies who do whatever the puppetmaster advertisers tell us to). The fact that a distinction is developing between high-meme culture/low-meme culture is pretty hilarious, simply because most people consider memes to be the lowest of low culture—and anyone who tries to persuade people otherwise usually gets mocked outside of internetty circles. Or at least, that was my experience with my LOLCats thesis—most of the comments on the mainstream news sites that covered it were hilariously outraged that me and my waste-of-time degree even existed.


UNIMÍDIA – MIDIALOGIA – UNICAMP – 2017

Deixar uma resposta