O “flâneur”, a cidade e o cotidiano





The Arcades Project

Walter Benjamin (1892-1940)



A Exceção e a Regra

Estranhem o que não for estranho.

Tomem por inexplicável o habitual.

Sintam-se perplexos ante o quotidiano.

Tratem de achar um remédio para o abuso.

Mas não se esqueçam de que o abuso é sempre a regra.

(Bertold Brecht)

POEMA DE JOSÉ PAULO PAES: “LIBERDADE INTERDITADA” – 1973




O Cisne (Charles Baudelaire)

…Paris muda! porém minha melancolia não!

andaimes, palácios novos, avenidas, blocos, para mim tudo vira alegoria,

E mais que as pedras, pesam lembranças queridas…

 

O Sol (Charles Baudelaire)

Ao longo dos subúrbios, onde nos pardieiros/Persianas acobertam beijos sorrateiros,/Quando o impiedoso sol arroja seus punhais/Sobre a cidade e o campo, os tetos e os trigais,/Exercerei a sós a minha estranha esgrima,/Buscando em cada canto os acasos da rima,/Tropeçando em palavras como nas calçadas/Topando imagens desde há muito já sonhadas….

Quando às cidades ele vai, tal como um poeta,/Eis que redime até a coisa mais abjeta,/E adentra como rei, sem bulha ou serviçais,/Quer os palácios, quer os tristes hospitais.”. O sol, ao fim, espanta até a tristeza dos hospitais, um poema solar em forma literal na obra baudelairiana.

* * *

“Pequenos Poemas em Prosa” (também conhecida como Le Spleen de Paris) de Charles Baudelaire.

XLVI
A PERDA DA AURÉOLA

“Olá! O senhor por aqui, meu caro? O senhor nestes maus lugares! O senhor bebedor de quintessências e comedor de ambrosia! Na verdade, tenho razão para me surpreender!”

‘Meu caro, você conhece meu terror de cavalos e viaturas. Agora mesmo, quando atravessava a avenida, muito apressado, saltando pelas poças de lama, no meio desse caos móvel, onde a morte chega a galope de todos os lados ao mesmo tempo, minha auréola, em um brusco movimento, escorregou de minha cabeça e caiu na lama do macadame.
Não tive coragem de apanhá-la. Julguei menos desagradável perder minhas insígnias do que me arriscar a quebrar uns ossos. E depois, disse para mim mesmo, há males que vêm para o bem. Posso, agora. passear incógnito, cometer ações reprováveis e abandonar-me à crapulagem como um simples mortal, E eis-me aqui, igual a você, como você vê.”
“O senhor deveria, ao menos, colocar um anúncio dessa auréola ou reclamá-la na delegacia caso alguém a achasse.”
“Não! Não quero! Sinto-me bem assim. Você, só você me reconheceu. Além disso a dignidade me entedia. E penso com alegria que algum mau poeta a apanhara e a meterá na cabeça descaradamente. Fazer alguém feliz, que alegria! e sobretudo uma pessoa feliz que me fará rir. Pense em X ou em Z. Hein? Como será engraçado.”
 



Imprecisa Premissa (Paulo Leminski)

Cidades pequenas, como dói esse silêncio, cantilenas, ladainhas, tudo aquilo que nem penso, esse excesso que me faz ver todo o senso, imprecisa premissa, definitiva preguiça com que sobe, indeciso, o mais ou menos do incenso. Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, tende piedade de nós.



Ah, poder exprimir-me todo como um motor se exprime! Ser completo como uma máquina! (…) Fraternidade com todas as dinâmicas! Promíscua fúria de ser parte-agente Do rodar férreo e cosmopolita Dos comboios estrênuos…
(Fernando Pessoa. Ode Triunfal).
 
***
 
Nada perdeu a poesia. E agora há mais as máquinas Com a sua poesia também, e todo o novo gênero de vida Comercial, mundana, intelectual, sentimental, Que a era das máquinas veio trazer para as almas.
(Fernando Pessoa. Ode Marítima)



Tendências, coisas e descrição social em Erner, Perec, Becker e Manovich – Publicado em

“Em outro trabalho, ‘Tentativa de esgotamento de um local parisiense’, Perec anotou tudo o que viu durante três dias em uma praça parisiense chamada Saint-Sulpice. A vibração do fluxo de pessoas, carros, animais, objetos ou mesmo elementos atmosféricos é descrita ora de forma aparentemente desencontrada, ora de forma que dá luz a classes de coisas (…) A convergência entre a descrição exaustiva e minuciosa de ambientes, fenômenos e acontecimentos sociais – e sua aplicação na percepção de tendências – se aproxima das possibilidades engendradas pela abundância de dados sociais digitais. No projeto The Exceptional and the Everyday: 144 Hours in Kiev, Manovich, Alise Tifentale, Mehrdad Yazdani e Jay Chow. Entre 17 e 22 de fevereiro, os autores coletaram 13.208 imagens geolocalizadas no Instagram em uma área central de Kiev, durante a Revolução Ucraniana. ” Foto de Georges Perec. Por trás de um grande pensador há sempre um cabelo bacana e um gato.

(Foto de Georges Perec. Por trás de um grande pensador há sempre um cabelo bacana e um gato.)



Dérive app – Urban Exploration App (We’ve worked on adding ‘hosted dérives’ to Dérive app. In a hosted dérive, all participants get presented the same task cards at the same time, wherever they are in the world. We’re officially introducing hosted dérives on Dérive Day, September 9, but you can test drive them right now.) – Dicas

What is Dérive app



Christopher Nolan – “Following”



CAMPANHA DA FIAT #VEM PRA RUA (CONTOS DA RUA) RAFA CAMILO (CÁSPER) E FERNANDO CALVACHE (APRESENTAÇÃO DO CASE NA CÁSPER 2014)


MÚSICAS

Dívidas – Paulinho da Viola

Dias de Santos e Silvas – Gonzaguinha

Ladeira da Memória – Grupo RUMO
 
Na Zona Sul– Sabotage
 
Endereço dos Bailes – Mc Júnior e Mc Leonardo
 
Modão de Pinheiros – O Terno
 
Museu Humano – Débora Setera (1 JOA- Casper)
 
São Paulo: não há saídas! – Itamar Assumpção
 
Santa Sampa – Vespas Mandarinas
 
Flanerie musical – Every Noise at Once/Repórtagem Nexo

Sonia Luyten. A cidade e os mangás

Wikipedia: Wiki Game Players (one or more) start on the same randomly selected article and must navigate to another pre-selected article (home) only clicking links within the current article. The goal is to arrive at the home article in the fewest number of clicks (articles) or the least time)


 

Video Grafite from Prompt Filmes on Vimeo.

“Memórias de 2010, quando havia um muro verde na esquina da Rebouças com a Av. Brasil. Chroma Key urbano com personagens do cotidiano.”

Natura Homem | A jornada do novo Flâneur from Monstro Filmes on Vimeo.



ARTIGOS

A tribute to female flâneurs: the women who reclaimed our city streets – The Guardian, (cities) 29/07/2016

TEORIA DA DERIVA E O URBANISMO SITUACIONISTA – Blogue Cidadades Contemporâneas – Posted

The flâneur – the keen-eyed stroller who chronicles the minutiae of city life – has long been seen as a man’s role. From Virginia Woolf to Martha Gellhorn, it’s time we recognised the vital, transgressive work of the flâneuse.

Share your experiences and stories of urban walking

Dinamarquês faz mistura de filme e vídeo – ESTHER HAMBURGER Folha de S. Paulo, 28/08/1995

A rotina dos vendedores de mate nas praias do Rio, sob calor de 40º e com 50 kg nas costas15 janeiro 2018 (Veja a diferença da reportagem pelo facebook)

As cidades masculinas erguidas pelo urbanismo do século 20 Camilo Rocha, Nexo, 29 Jun 2018

9 rolês nas quebradas de SP para você aproveitar seu bairro – 29/06/2018 – 17:45Atualizado: 02/07/2018 – 13:30 – Por: Agência Mural de Jornalismo das Periferias

Caderno de Domingo – Jornal do Brasil, 2003

Win Wenders – Entrevista

Finding Vivien Maier (In 2007 Chicago 26-year-old real estate agent – and president of the Jefferson Park Historical Society – John Maloof walked into an auction house and placed a $380 bid on a box of 30,000 prints and negatives from an unknown photographer. Realizing the street photographs of 1950s/60s era Chicago and New York were of unusually high quality he purchased another lot of photographer’s work totaling some 100,000 photographic negatives, thousands of prints, 700 rolls of undeveloped color film, home movies, audio tape interviews, and original cameras.)

A “Vivian Maier” russa: 30 mil fotos singulares encontradas no sótão – IPhoto Channel – 14 de Março de 2018

Nova York através de um iPhone – O fotógrafo Andrew Lichtenstein utiliza seu celular para retratar a vida cotidiana da cidade a partir de um outro ponto de vista El País, 01/04/2014




Mapas Afetivos (página do facebook)

Exemplo de uma experiência realizada na Cásper (curso de PP ) para o Projeto Cidadania em 2015

Olhe para todo o resto. Projeto das alunas de PP da faculdade Casper Líbero

Sinestesia – Projeto das alunas/alunos de JO da Faculdade Cásper Líbero

Exemplo de uso da plataforma ATAVIST
 
Exemplo de uso da plataforma WIX
 

 

Exemplo de uso do TUMBLR
 
 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixar uma resposta