Economia das Trocas Simbólicas – Pierre Bourdieu – parte II

Campos Sociais – Habitus – Illusio 

 

O que é um Campo Social?

1. É universo relativamente autônomo e objetivado no mundo social
 
2. Tem uma história: é produto de um lento processo de depuração.
 
3. Cria um espaço de posições e tomadas de posição, espaço de lutas (estratégias, hegemonia, subversões, alianças, efeito de envelhecimento no campo

 
4. Valoriza certos tipos de capitais e depende de certas disposições (habitus do campo e uma Illusio)
 
5. Produz e reconhece certo campo discursivo próprio.
 
6. Produz e reconhece certas práticas, objetos e rituais de reconhecimento e de consagração próprios.
Vamos pensar no campo acadêmico, político, religioso, literário, jornalístico etc. e seus Congressos, Encontros, Premiações etc.
 
7. Cobra um “preço” de entrada (requisitos necessários para entrar e para continuar no campo)
 
 
 
 

Em primeiro lugar é preciso resgatar a metáfora do jogo para pensarmos os campos sociais. A palavra jogo, etimologicamente, vem da palavra-raiz latina ludus, a mesma que dá origem a palavra Illusio.Illusio, uma espécie de encantamento pelo jogo que se joga neste campo social é fundamental para que ele faça sentido, ou seja, para que os agentes sintam interesse e motivação para jogá-lo.

 
 
illusio significa, portanto,  estar preso ao jogo, preso pelo jogo, acreditar que o jogo vale a pena. Nos respectivos campos sociais,  os jogos sociais tendem a se fazer esquecer como jogos porque seus agentes estão envolvidos com ele.  Por isso, o que é vivido como algo normal para as pessoas de um determinado campo pode parecer sem sentido para quem não participa dele. Aqueles que estão bem ajustados aos seus campos, ao jogo que se joga neles, dominam a sua lógica e atuam em vantagem por melhor compreender como funcionam. Para jogar esse jogo é preciso incorporá-lo de alguma forma.
 
 
Existe um habitus ajustado ao funcionamento dos campos, um certo modo de perceber e de jogar o jogo. Quando nos envolvemos por um determinado campo e aprendemos a jogá-lo, a lógica do que fazemos não precisa ser destacada explicitamente.
 
A maior parte do que aprendemos é adquirida de forma implícita. Isso permite que nossas ações não pareçam calculadas o tempo todo ou até mesmo cínicas. O bom jogador – como o jogador de tênis, por exemplo –  não somente sabe onde a bola está, mas onde ela vai cair. Isso permite que antecipe as suas jogadas e a dos outros agentes do campo.  

SLIDES


TEXTO-BASE Pierre Bourdieu. Algumas propriedades dos campos (Exposição feita na Ecole Normale Supérieure, em novembro de 1976, para um grupo de filólogos e historiadores da literatura)

TEXTO COMPLEMENTAR

BOURDIEU, Pierre. Razões Práticas. Campinas/SP: Papirus, 1997 (Cap. 5: É possível um ato desinteressado?)

MICELI, Sérgio. Bourdieu e a renovação da sociologia contemporânea da cultura. Tempo soc. vol.15 no.1 São Paulo Apr. 2003

JANOTTI, Jeder (org) Cenas Musicais


FILMES

 

35 Office Lessons “The Devil Wears Prada” Taught Us – Survival lessons for your first office job. That’s all.  by Andrew Villagomez . BuzzFeed Posted on July 25, 2013, at 7:29 p.m.  

   

Deixar uma resposta